Medo: abordando a fisiologia através da música

Queridos professores, alunos e leitores,

Hoje trago uma música da cantora Pitty para abordar a fisiologia do medo. Como professores é interessante que durante as aulas nós abordemos os conteúdos com vários recursos diferentes: músicas, vídeos, textos, poesias, etc; assim nós conseguimos atingir todos os tipos de alunos que temos em sala de aula e deixamos as aulas bem variadas.

Você pode acessar a música e letra completa nesse link. O medo é um assunto que geralmente não é abordado em sala de aula, mas é importante pois além de se tratar de uma situação que nós vivemos no cotidiano, com menor ou maior frequência, ele contempla reações fisiológicas de vários sistemas: nervoso, muscular, hormonal etc.

Essa aula pode ser dada para várias séries, dependendo também da profundidade do conteúdo que o professor quiser abordar. É interessante que o professor passe aos alunos a música/videoclipe acompanhada da letra e peça para que os alunos identifiquem quais partes da canção remetem ao medo e às sensações que ele proporciona.

medo

Depois o professor pode abordar as partes relacionadas ao medo, enfocando nos conceitos fisiológicos. Abaixo eu coloco algumas dessas partes e os conceitos que podem ser trabalhados:

Medo de ter, medo de perder
Cada um tem os seus
E todos tem alguns

Nessa parte cabe ao professor ressaltar que todos nós temos medo de alguma coisa ou situação. O medo é um sentimento natural e inerente a nós seres humanos e aos animais superiores também. Graças ao medo nossos ancestrais sobreviveram a muitas situações quando ainda viviam nas cavernas. O medo, por exemplo, foi necessário para que o homem não se colocasse em situações perigosas, como enfrentar um leão nas savanas africanas. Sem o medo não teríamos receio de nenhuma situação – por mais perigosa que fosse – e isso colocaria em risco nossa sobrevivência e perpetuação da espécie. Portanto, o medo é normal e necessário.

Suando frio, as mãos geladas
Coração dispara até sufocar

Nessa parte o professor pode abordar as reações em cascata que ocorrem quando temos medo. Quando nosso cérebro recebe um estímulo e o interpreta como algo perigoso, podendo ser um som, um cheiro, uma imagem, ele imediatamente manda mensagens para o nosso sistema nervoso periférico e a partir daí todas as reações serão desencadeadas, culminando no que chamamos de resposta de “luta ou fuga”. O sistema nervoso simpático leva à liberação dos hormônios adrenalina e noradrenalina, que podem aumentar os batimentos cardíacos, levando o coração a disparar e a respiração ficar ofegante. Outros efeitos provocados nessa cascata de reações são o aumento da transpiração (ou seja, do suor), aumento da pupila, redução na produção de saliva, redução no metabolismo gastrointestinal e etc. Todas essas consequências da identificação do sinal de perigo pelo cérebro são importante para que o corpo tenha energia e disposição física/mental para lutar ou fugir em uma situação de perigo.

Antiga batalha:
O homem e seu pavor
Nocivo se paralisa

Nessa parte novamente vemos uma das reações que ocorrem quando sentimos medo, de paralisação, que é relacionada ao que tratamos na parte acima. Além disso, quando o autor coloca “antiga batalha” ele também faz referência ao medo ser sempre presente nas nossas vidas, assim como citado anteriormente.

É importante que o professor também enfatize que apesar de ser adaptativo, ou seja, importante para a sobrevivência, o medo em excesso é um problema, se tornando o que chamamos de fobia. Assim como tudo na vida, nada em excesso é bom!

O professor poderá abordar outros conteúdos e partes da música de acordo com o que julgar necessário. Coloco no fim do post dois textos importante que podem ser usados como referência bibliográfica para a aula.

Como podemos perceber, com apenas um tema podemos unir o estudos dos órgãos dos sentidos, do sistema nervoso, endócrino e muscular. Espero que o professor aproveite essa música para tratar desse tema tão importante de ser trabalhado em sala de aula.

Dúvidas e comentários deixe em nossa página!

Até a próxima,

Professora Nathália

* * *

Para saber mais:

[1] Crake & Barlow. 1994. Fisiologia e Psicologia do medo. Acesse o texto aqui: fisiologia-do-medo-e-ansiedade.

[2] Moraes, N. 2014. Quem tem medo? Ciência Informativa. Acesse o texto aqui.

Fonte da imagem: http://www.divaneios.com/wp-content/uploads/2016/10/Medo-%C3%A9-o-Grande-Vil%C3%A3o.jpg

Anúncios

2 comentários sobre “Medo: abordando a fisiologia através da música

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s